No Guia de cultivo do feijão. As favas são as sementes da planta Vicia faba. A caraterística mais importante desta planta é o facto de ser uma leguminosa e, por conseguinte, enriquecer o solo fornecendo azoto. É por isso que é importante semeá-lo em solos que tenham tido anteriormente culturas muito exigentes, como o tomate, a beringela… Efetuar uma boa rotação de culturas.


As suas flores são brancas com uma mancha escura e o caule tem uma forma curiosa, sendo quadrado. São plantas que podem crescer até um tamanho grande. Em função do espaço de que dispõe para desenvolver as suas raízes, podem atingir mais de 2 metros de altura, consoante a variedade. Para um jardim urbano é melhor escolher variedades de tamanho pequeno e, se tivermos espaço, escolher variedades de tamanho normal.

QUANDO E COMO SEMEAR

Nas zonas temperadas, como o Mediterrâneo, semear no final do verão e no outono. Nas zonas mais frias, teremos de esperar até ao final do inverno.

como plantar habas paso a paso 2439 1 600

No nosso Guia de Cultivo do Feijão, mostramos que, ao semear, é aconselhável molhá-lo no dia anterior para facilitar a sua germinação, embora não seja obrigatório. A sementeira direta é ideal, com 2-4 sementes por buraco, a uma distância de 30-40 cm e a uma profundidade de 3-5 cm. Dentro de alguns dias, 10-12 dias, veremos as nossas sementes germinar.

Caso não o faça diretamente e o faça numa sementeira, recomendo que o faça numa sementeira larga ou em vasos, plantando pelo menos 2 sementes por vaso ou buraco de sementeira e humedecendo muito bem a terra.

O TRANSPLANTE

No caso de ter optado por semear esta cultura, a altura ideal para transplantar é quando a planta tem 10-15 cm de altura, quando já tem vários estádios com folhas verdadeiras.

Para transplantar para a terra ou para um vaso maior, fazer um buraco suficientemente grande para que possa entrar e tapá-lo bem. Regar abundantemente para eliminar possíveis bolsas de ar e para garantir que as raízes estão húmidas e não sofrem de stress hídrico.

sembrar habas de mayo

IRRIGAÇÃO

No nosso guia de cultivo das favas, mostrámos que as favas não são muito exigentes em termos de água. Se as plantámos no final do verão e as temperaturas ainda são elevadas, é aconselhável regá-las pelo menos 2 ou 3 vezes por semana. Mais tarde, quando entrarmos no outono e no inverno e as temperaturas forem mais baixas e chover, a ideia é regar uma vez por semana, pois a fava também não gosta de muita água. É preciso ter o cuidado de não as deixar secar, sobretudo entre a floração e a frutificação, pois a colheita pode perder-se.

plantas de habas

GUIADO OU ORIENTADO

A escolha é de cada um, eu pessoalmente nunca os guio, no máximo faço uma vedação para eles como mostra a foto. Para que não se abram demasiado e não ocupem demasiado espaço, para que sejam mais controladas e não ocupem espaço no caminho ou tapem outras plantas.

Como podem ver é muito simples, usamos uns postes feitos do material que queremos, mas temos de ter em conta que deve ser duro, e colocamos umas cordas que passam pelos postes, desta forma mantemos a planta mais direita.

23 03 2016 fabes mayo3

PODA DA PLANTA

Quanto à poda do feijão Haba, ele não é muito exigente e não necessita de poda, exceto a poda apical se não quisermos que ele cresça mais alto. Isto evitará que as plantas cresçam demasiado, mas, pelo contrário, favorecerá o crescimento de novos rebentos.

ec1a86b5dd1ec039dc49490bce10cccc

COMO E QUANDO EFECTUAR A COLHEITA

Outro ponto importante que nós, no Bean Growing Guide, vamos mostrar-lhe. Quanto à colheita, colhê-las-emos de acordo com o gosto, pois há pessoas que as colhem tenras e as comem com a vagem ou as deixam mais ou menos maduras para comer a semente. O ideal seria efetuar uma sementeira escalonada para poder colher em alturas diferentes e assim prolongar o seu consumo em casa por um período mais longo. Também podemos semear sementes precoces, que podem ser colhidas após 2 ou 3 meses, ou sementes tardias, que podem ser colhidas após mais de 4 meses.

como plantar habas

Podemos deixá-las secar na planta o mais possível para guardar a semente para o ano seguinte e assim ter uma semente que terá na sua memória genética o nosso solo e o nosso clima, pelo que se desenvolverá melhor.

DOENÇAS E PRAGAS COMUNS

I NSECTOS.

  • Ácaro vermelho e branco Suga o material vegetal absorvendo os sucos celulares como parte da sua dieta. O tecido afetado apresenta uma coloração amarelada e torna-se necrótico com o tempo. Em infestações avançadas, uma teia de aranha caraterística é gerada em torno de toda a planta.
  • Pulgão do feijão preto. (Aphis fabae) Os afídeos alimentam-se preferencialmente de órgãos vegetais jovens, tenros e em desenvolvimento. Os adultos e as ninfas extraem passivamente a seiva transformada quando a pressão é suficiente. Sempre em grandes quantidades para compensar o seu baixo teor de aminoácidos. Ao absorverem a seiva da planta, provocam um enfraquecimento generalizado, que se manifesta por um crescimento atrofiado e pelo amarelecimento da planta, que está relacionado com a população de pulgões que esta suporta. Durante a alimentação, os pulgões injectam saliva contendo substâncias tóxicas, provocando deformações nas folhas, como o enrolamento e a ondulação.
  • Lagartas. Variam em forma, cor e tamanho, mas são todos muito nocivos. Os danos na planta são causados por picadas de larvas, quer nas folhas quer nos frutos em formação.
  • Mosca branca (Bemisia tabaci) A mosca branca fêmea põe os seus ovos na parte inferior das folhas de pimento. Aparecem esferas brancas visíveis. Para se alimentar, suga a planta, enfraquecendo-a e acabando por provocar uma murchidão geral.
  • Tripes (Frankliniella occidentalis) Os tripes são insectos alongados com cerca de 1 a 2 mm (visíveis a olho nu e reconhecíveis com uma lupa) e de cor castanha. Estes insectos sugam o material vegetal do tomateiro. A zona onde foi aspirada tem uma cor prateada e com o tempo torna-se necrótica.
Aphis fabae 1024x768 1

DOENÇAS.

  • Míldio (Phytophthora infestans) Esta doença fúngica ataca a parte aérea da planta em condições de humidade elevada (90%). A presença do fungo é detectada pelo aparecimento de manchas irregulares que acabam por se tornar necróticas nas folhas. Aparecem manchas acastanhadas no caule e manchas acastanhadas de forma irregular nos frutos.
  • Oídio (Leveillula taurica) Este fungo manifesta-se na planta com um micélio esbranquiçado visível a olho nu. A temperatura de germinação do fungo oscila entre 10 ºC e 35 ºC. . .
  • Mancha de chocolate(Botrytis fabae). As condições ambientais óptimas para o fungo são cerca de 20°C e uma humidade relativa elevada. Os sintomas iniciais são manchas avermelhadas nas folhas e nas vagens. No final da estação, o fungo produz pequenas massas compactas de hifas, esclerócios negros, que sobrevivem durante todo o inverno. As vagens afectadas produzem sementes manchadas com lesões, que podem transmitir a doença.
66fbcbe3 000efermedadesplagashabasqweqwe

PRODUTOS QUE RECOMENDAMOS PARA ESTA CULTURA